Sábado, 17 de Maio de 2008

A nossa Proposta

Após o estudo elaborado do nosso concelho, a nossa grande aposta será a criação de uma Casa da Cultura.

 

 

Não havendo nenhum espaço deste tipo na região, contribuir-se-á para a dinamização cultural. E ao mesmo tempo criar-se-á um espaço de educação ambiental bem como um jardim onde se poderá desfrutar da Natureza envolvente.

publicado por countrysidepan às 13:51

link do post | comentar | favorito

Pedimos desculpa!

Por termos andado por demais ocupados nestas últimas semanas, não temos dedicado muito tempo ao nosso blog e por isso pedimos desculpa, com a certeza de que traremos notícias brevemente!

publicado por countrysidepan às 13:47

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 9 de Março de 2008

Reabilitação da "Sotima"

 

A Câmara Municipal de Proença-a-Nova e o Grupo Lena vão construir um centro empresarial nas antigas instalações da Sotima, em Proença-a Nova, num espaço abandonado e sem actividade que chegou a ser uma unidade de transformação de madeiras com centenas de postos de trabalho.

O projecto prevê a requalificação para fins industrias de uma área de 250 mil metros, (dos quais 27 mil m2 de espaço coberto) bem como a beneficiação de cerca de 100 mil m2 para área florestal e agrícola.

Apesar de aberto a diversas actividades empresariais, o futuro complexo terá uma vocação especial para as empresas ligadas à fileira florestal e ao desenvolvimento de energias renováveis.

A zona a requalificar será objecto de cuidados estudos ambientais, com o objectivo de se afirmar como exemplo de sustentabilidade.

 

publicado por countrysidepan às 21:38

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 3 de Março de 2008

A Zona Industrial

A Zona Industrial de Proença-a-Nova, a 2 km da sede do Concelho, tem uma área total de 234,344 m2, situa-se junto ao IC8 e possui boa acessibilidade a partir de Proença-a-Nova e das vias que a servem.

Existem 56 lotes industriais, que englobam várias industrias, nomeadamente caixilharia, mármores, construção civil, serralharia, transportes, alimentícia (queijos, charcutaria, rações, queijarias , leitões), mecânica, tornearia, alumínios ,  etc. .

Além dos lotes industriais existem equipamentos como Depósito de água, Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), além dos arruamentos, passeios, estacionamentos e zonas verdes.

publicado por countrysidepan às 09:07

link do post | comentar | favorito
Domingo, 2 de Março de 2008

Fortes e Baterias

Uma das mais recentes apostas do Município de Proença é a conclusão do Centro de Fortes e Baterias, que faz alusão à época das invansões francesas.

Os FORTES estão erguidos no topo dos montes e serviam de pontos de observação e, ao mesmo tempo, tinham de possuir poder de fogo sobre os locais onde passariam as tropas francesas, daí a sua posição estratégica.São feitos em paredes de pedra seca, contra as quais foi construído um aterro com fosso em redor.

As BATERIAS são buracos escavados na montanha com aproveitamento do material quartzítico. Para a construção desta estrutura, foi aberto um socalco na rocha e construídos dois aterros com muros de pedra seca no interior.Têm uma ampla abertura, no topo da qual correspondia a boca do canhão.

publicado por countrysidepan às 18:44

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

As Energias Renováveis e o nosso concelho

O subparque eólico de Proença-a-Nova, pertencente à Generventos do Pinhal Interior, Energias Renováveis, empresa do grupo Generg.

Localizado na freguesia e concelho de Proença-a-Nova, nomeadamente, na Serra do Vergão e na freguesia de Isna, do concelho de Oleiros, nomeadamente na Serra das Corgas.

 Cada aerogerador tem dois MW de potência, torres com 78 metros de altura e pás de cerca de 41 metros de comprimento.

O subparque eólico de Proença faz parte do Parque Eólico do Pinhal Interior, que contará com um total de 65 máquinas e 148 mil quilowatts de potência instalada.

publicado por countrysidepan às 15:54

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Entrevista ao Vereador da Câmara Municipal

19-02-2008

O grupo - Qual o património cultural e não cultural existente no nosso concelho?

Prof. João Manso - Isso é uma pergunta um bocadinho difícil. (risos)

Bom, principalmente temos as igrejas, nomeadamente

a Igreja da Misericórda que será talvez a mais prestigiada e mais antiga do concelho, é nela que está a Santa Cruz trazida por Pedro da Fonseca. Temos a ponte romana que liga São Pedro do Esteval a Mação, temos como património do Geoparque as Portas de Almourão, temos várias fontes, fortes e baterias que remontam às invasôes francesas. Na Serra da Venda há vestigios de explorações mineiras, perto do Cruzeiro temos a Pedra das Letras que segundo a história diz-se ser muito antiga, talvez da era Pré-Histórica, outros dizem que foi um pastor que por lá passou e a riscou por engano. Nas moitas temos, também, umas Antas onde se fazem passeios pedestres.
Por outro lado, temos também patrimónios que ainda estao a ser estudados, como por exempo algumas pontes no Peral, há quem diga que existem vestígios de um castelo, também no Peral, mas certezas ainda nao temos, até porque a nossa carta arqueológica ainda esta em fase de elaboração.
O grupo -  A Câmara é apoiada económicamente para preservar e restaurar o património?
 
Prof. João Manso - Por enquanto não é. Existem contudo alguns apoios mas são pouco significativos, porque na maior parte nâo recebemos ajuda nenhuma. No entanto, em estruturas como o Centro de Ciência Viva temos e nos Fortes e Baterias também iremos ter, em principio mas isso ainda vaia concurso e tal.
Gostavamos muito de ter um arqueólogo mas nao temos, e isso torna as coisas mais dificeis...
O grupo - Que projectos inovadores têm em vista?
 
Prof. João Manso - Concluir o centro de Fortes e Baterias, que estará ligado a um pequeno museu que por sua vez estará ligado a uma fábrica de conserva de azeitonas e a tradições ligadas á produção de azeite, na Sobreira Formosa.
Há, também um projecto muito superficial ainda sobre a criação de casa de artes e cultura para ocupar o edificio que presentemente é da câmara mas que depois ficará desocupado, a ideia é fazer deste espaço um espaço dinâmico com exposiçoes e um museu, porém não está nada encaminhado ainda irá vir um arquitecta que ficará encarregue disso.
O grupo - Na sua opinião, como se encontra Proença no ponto de vista cultural e tecnológico?
 
Prof. João Manso - A nível cultural, como isto é uma terra do interior faltaram como é obvio algumas coisas, como mais dança, mais teatro, mais música, mas para isso precisamos de professores que possam oferecer qualidade, e como aqui no concelho nao temos essa oferta teriamos de trazer pessoas de longe e isso traz custos. Por outro lado também temos de ver a quantidade de oferta que temos no concelho, nao podemos oferecer muita coisa porque também nao temos muita gente. Temos de pensar em iniciativas com qualidade e inovadoras que intervenham na vida do concelho e que cubram o maior leque de pessoas.
 
O grupo - No futuro como gostaria de ver Proença-a-Nova?
 
Prof. João Manso - Com mais gente, com mais emprego, com mais obras, para assim termos a oportunidade de realizar algus projectos a nivel cultural e turístico. Queria que esta terra nao perdesse tanta gente, mas contra isso pouco mais podemos fazer...
 
O grupo - O que acha que deve ser feito para atrair mais jovens e assim aumentar a população?
 
Prof João Manso - Aumentando os postos de trabalho, agora como já devem saber compramos a Sotima onde vão ser criadas uma série de firmas com mais postos de trabalho e vamos ver se isto vai ser acompanhado com a vinda de jovens e fixação dos nossos que é o mais importante.
 
O grupo - O que acha da iniciativa do nosso grupo em participar neste concurso?
 
Prof. João Manso - Vocês são os primeiros a dizer se vale a pena ou não. Mas na minha opinião acho que vale sempre a pena porque conhecem mais gente que se calhar sobre outras circunstancias nao conheceriam, visitam outros meios, outras instituiçôes, entram em contacto com mais gente, e só pelo facto de aumentar a vossa cultura já é bom e também termos a nossa terra divulgada é muito importante.
 
O grupo - Uma das nossas propostas de melhoramento é a criação de uma casa de cultura. Acha que seria um projecto viável para Proença?
 
Prof. João Manso - Sim, sem dúvida é um projecto viável. Tanto que até fará parte dos nossos projectos como já tinha dito. Porém em relação ás variantes temos de ter em conta o número de pessoas, ou seja a oferta, e o espaço, o edificio.
 
O grupo -  Podemos contar com o apoio da camara para a construção da maquete?
Prof. João Manso - Sim, se nao for muito caro.
 
O grupo - Fizemos também um inquérito e pelo que podemos concluir há muita gente a falar de um centro de desportos radicais o que nos pode dizer sobre isso?
Prof. João Manso - Sim acho que também seria uma boa ideia, nos tambem ja estavamos a pensar em comprar uma parede de escalada para o pavilhão.
O grupo - Há também quem fale num politécnico acha uma boa ideia?
Prof. João Manso - Nao seria viável.
O grupo - Agora ouvimos falar que o nosso centro de saude iria fechar é verdade?
Prof. João Manso - Não, em principio nao irá fechar. O que se falou foi sobre a possibilidade de encerrar as urgências e criar uma espécie de consultas de atendimento que iriam funcionar até as 24:00.

publicado por countrysidepan às 09:23

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Vale do Almourão

Com uma vista imponente, onde nos sentimos pequenos, o Vale do Almourão é um lugar desabitado e de difícil acesso.

Com desfiladeiros de cerca de 400 metros de profundidade, foram necessários cerca de 140 milhôes de anos para transformar rochas sedimentares, os quartzitos, em rochas metafóricas e ergue-los dos fundos dos mares até ao cume das montanhas. A paisagem que hoje vemos foi o resultado de 250 milhões de anos de erosão e alteraçôes químicas.

Fauna e Flora

Aqui podemos encontrar uma grande diversidade de seres que vão desde Grifos ( Gyps fulvus) que se encondem nas encostas rochosas e se alimentam de cadáveres, passando pelos vastos pinhais onde se pode encontrar a Rosa-albardeira (Paeonia broteroi) e acabando no zimbro (Junipeus oxycedrus) que é uma espécie rara e que cobre grande parte dos rochedos.

 

 

 

 

publicado por countrysidepan às 15:20

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

Centro de Ciência Viva em Moitas

 

 

 

O Centro de Ciência Viva de Proença-a-Nova tem como objectivo demonstrar a importância da floresta como fonte de vida, riqueza e bem-estar. Trata-se de um edifício circular, semelhante à secção de um tronco, foi projectado pelo arquitecto João Teixeira e situa-se junto ao aeródromo das Moitas, ocupando uma área de cerca de mil e cem metros quadrados.

Alguns dos pontos de interesse do Centro de Ciência Viva são: 

-> Uma fábrica de madeira, onde se pode observar todo o processo de transformação da mesma; 

-> Uma fábrica de perfumes, onde o visitante poderá criar os seus próprios aromas extraindo essências das plantas;

-> Uma árvore transparente que irá permitir ver como os seus elementos são incorporados no solo; 

-> Um decompómetro de folhas e um simulador de chuva para mostrar como se processa a erosão numa encosta inclinada;

-> Um laboratório destinado à realização de várias experiências;

-> Um bar, onde podem fazer uma pausa e beber um café na esplanada com vista sobre o aeródromo e os bonitos montes da vizinhança. Para além de poder comprar produtos florestais, pode também aceder à Internet wireless.

 E até porque o Centro não é um museu, existe espaço Mediateca que se destina a acolher os visitantes através de várias actividades interactivas que irão permitir a participação mais activa destes, tais como livros, vídeos, Cds, jogos, computadores com programas educacionais sobre a floresta e também um espaço de pesquisa e acesso à Internet.

A estrutura, construída pela autarquia é gerida pela Associação Centro Ciência Viva de Proença-a-Nova, e representa um investimento de 3,5 milhões de euros, comparticipado em partes iguais pela autarquia local e pelo Plano Operacional do Centro. As despesas de funcionamento estão estimadas em 150 mil euros por ano. Um valor muito para além das capacidades da câmara municipal, que tem procurado o apoio de instituições públicas. A princípio, o único suporte financeiro veio do Ministério da Educação, que destacou dois professores para ali trabalharem neste ano lectivo.

Clique Aqui para aceder ao site oficial do Centro de Ciência Viva de Proença-a-Nova.

 

 

publicado por countrysidepan às 15:50

link do post | comentar | favorito
Domingo, 3 de Fevereiro de 2008

Aldeia de Xisto- Figueira

Aldeias do xisto é um projecto conduzido pela Associação de Desenvolvimento Pinus Verde , com sede no Fundão e integra-se num plano de desenvolvimento sustentado das aldeias de xisto, cujos principais objectivos passam pela melhoria da qualidade de vida das populações locais e promoção das actividades económicas tradicionais e dos produtos locais.
São já 24 as Aldeias do Xisto distribuídas pela Região Centro.
Aquela que aqui vamos dar mais ênfase, é a aldeia da Figueira. Inserida no centro do concelho de Proença-a-Nova, a Figueira tem sido submetida a obras de requalificação entre elas: rede de abastecimento de água, pavimentações dos arruamentos em calçada granítica e recuperação de alguns dos imóveis particulares. Destaca-se não só o seu ambiente rural mas uma vivência que retrata a união os seus habitantes, sendo de referir  a existência de um forno comunitário, fontes, moinhos e eiras.
Esta aldeia, pela sua dimensão, proximidade ao IC8, ao aeródromo de Moitas e à Escola de Pára-quedismo, ao Centro de Ciência Viva da Floresta, e à Praia Fluvial de Fróia, está no centro de uma variada oferta turística.


                                                    

Forno Comunitário






                                   Figueira


publicado por countrysidepan às 16:59

link do post | comentar | favorito

.arquivos

.subscrever feeds